Buscar
  • Renata Bomfim

Instituto Ambiental Reluz realiza ação educativa em parceria com o POLH/ Áustria.


Há quase quatro anos, integro o time das professoras de português que trabalham no sistema público de ensino austríaco. Eu dou aulas de POLH (Português como Língua de Herança*) na Baixa Áustria para duas turmas (32 alunos), que têm entre 6 e 14 anos. A heterogeneidade dos grupos e, às vezes, o pouco contato dos/as alunos/as com a cultura dos países de língua lusófona são desafios a serem vencidos a cada encontro. Por isso, nós buscamos sempre (re)produzir na sala de aula, e em suas extensões, situações interculturais das mais simples às mais complexas como: escrever cartões-postais; ouvir e comentar podcasts; preparar e comer comidas típicas brasileiras; entrevistar pessoas que falam português.

É aí que entram em cena a Renata Bomfim e o Luiz Alberto Bittencourt, os fundadores do Instituto Ambiental Reluz. Apaixonados pelos animais e pelas plantas, o casal tornou-se exemplo de como devemos cuidar do Meio Ambiente. Assim, organizamos, no final de 2019, uma entrevista que se transformou numa inesquecível experiência para as crianças.

Aqui, como no Brasil, os temas - “Água é vida”, “Coleta de lixo”, “Vida saudável”, “No parque, na floresta, na grama” e “As abelhas” - também são debatidos na escola. Vale ressaltar que, segundo a DW, a Áustria ocupa o 8º lugar no ranking dos países europeus com mais florestas, pois tem 46,7% do território coberto por florestas.


Antes do dia da entrevista, os/as alunos/as assistiram a vídeos, analisaram alguns mapas que mostram a extensão do desmatamento da Mata Atlântica e das queimadas na Floresta Amazônica, bem como discutiram sobre os interesses e as perdas reveladas por essa destruição.

Durante a entrevista, que aconteceu via Skype, Renata e Luiz responderam às perguntas elaboradas pelos/as alunos/as sobre a importância de uma reserva natural, sobre como é viver num lugar tão especial como esse, rodeados de fauna e flora nativas. Considerando que a língua é lugar de interação, os/as alunos/as foram levados/as a vivenciar, ainda que de longe, e a analisar aspectos sociais, políticos, históricos, econômicos e culturais do Brasil.

Após o bate papo, as crianças fizeram desenhos e/ou escreveram mensagens, expressando suas impressões sobre o assunto estudado. Para conhecer um pouco mais desta história, visite o site Plataforma do POLH. Lá você encontrará o artigo “Seja um guardião da natureza”, publicado na Revista Heranças (2020, p. 10), que conta mais detalhes de como o Instituto Ambiental Reluz foi parar numa sala de aula na Áustria. Eu sou a criadora e editora da Revista Heranças, que tem o apoio da Embaixada do Brasil em Viena.

Profª. Drª. Karina de Rezende-Fohringer Letras (Ufes) é profª. de Português como Língua de Herança/Áustria

*Língua de herança é aquela que se fala em família. A mãe ou o pai tem o português como língua materna e decide preservá-la dentro de casa.


2 visualizações0 comentário